Como passar na Fuvest em medicina

C

A estratégia pra passar em medicina na fuvest é bem diferente da estratégia pra passar no Enem ou em outros cursos. Neste post vamos falar especificamente sobre como estudar para passar em medicina na fuvest.
Estudando para a fuvest você automaticamente se prepara para medicina na Unesp. E com um pouco de estudo de redação você também se prepara para medicina na Unicamp e para a medicina na Famema em Marília (a PUC-SP faz a prova).
Este post é ainda mais relevante para quem estuda sozinho. Quis passar muitas informações, sem escrever um livro. =)
Talvez a primeira parte sobre o mindset assuste, mas continue lendo que vai fazer sentido.

Sumário

  1. Estratégia mental: Obstinação!
  2. Análise do edital 
    1. Primeira fase
    2. Segunda fase
  3. Estratégia de estudos para cada matéria 
    1. Português, literatura e redação
    2. Biologia
    3. Química
    4. Física
    5. Matemática
    6. Inglês
    7. História
    8. Geografia
  4. Como fazer as provas antigas 
  5. Análise das notas de corte e segunda chamada
  6. Por que fazer medicina na USP 

 

1 – Estratégia mental: obstinação

Neste post falo sobre a mentalidade de quem passa em medicina: Uma pessoa que estuda OBSESSIVAMENTE, vale a pena conferir.

2 – Análise do edital da fuvest

Neste post fizemos uma análise detalhada do edital da Fuvest.

Nessa análise vimos que o foco principal para USP Pinheiros deve ser estudar as seguintes matérias:

  1. Português + literatura
  2. redação
  3. Biologia
  4. Física
  5. Química

Estudando essas 5 matérias você estuda para 75% dos pontos totais da prova. Esse cálculo é feito incluindo os pontos da 1a e 2a fases.

Para USP Bauru e USP Ribeirão Preto basta trocar física por geografia.

3 – Como estudar cada matéria

Introdução ao método: Foco em questões 

Para a análise vou considerar que você está se preparando para USP Pinheiros, com prova da segunda fase composta por: química, biologia e física. Se você quiser os outros 2 campis troque física por geografia.
Então vamos lá, um bom método de estudo precisa de:
  1. aprendizado rápido
  2. muito treino
  3. revisão
  • Agora pensa comigo se ler um livro de 450 páginas de história é aprender rápido. Por isso acho que o ideal para aprender matérias como história e geografia é ver vídeo aulas. Você vê enquanto descansa do seu tempo estudando as matérias principais. Incluiria até literatura, mas além de ver os vídeos é preciso ler muuuito bem os resumos também.
  • Treinar sempre é um requisito básico, porque você quer chegar na prova afiado em fazer provas.
  • O conhecimento de uma matéria é como um quebra-cabeça, você vai adicionando capítulo por capítulo como se fossem áreas do seu quebra-cabeça. O problema é que quando você está quase terminando, você percebe que perdeu as  primeiras peças, ou seja, não revisou e esqueceu a matéria do começo do ano. Isso é muito simples de resolver. Selecione as questões mais difíceis que resumem a matéria para rever e faça muitas provas antigas. O simples fato de fazer uma prova antiga de uma matéria inteira faz com que você treine um amplo leque de conteúdos e faça uma boa revisão.

Estratégia de estudos para cada matéria

1. Literatura

É preciso dar uma grande importância a essa matéria, porque dentro das linguagens é mais fácil acertar as questões de literatura do que as de interpretação de texto. Assim, é necessário ter muita atenção nas aulas de literatura, principalmente quando o assunto for os livros obrigatórios.
Quem estuda em casa pode usar a seguinte estratégia para estudar cada livro, é como eu fiz e como recomendo:
Passo a passo para cada livro:
  1. Comece seu estudo assistindo os resumos no youtube ou no cursinho online.
  2. Leia os resumos, estude bem os personagens, entenda suas vidas, suas motivações. Para encontrá-los basta pesquisar “resumo vidas secas” ou “resumo vidas secas pdf”.
  3. Veja as questões discursivas! É uma matéria que vale muito a pena ver as discursivas antes das objetivas.
    1. Leia o enunciado e tente fazer mentalmente.
    2. Depois veja a resposta e estude muito bem a resposta.
    3. Faça a sua resposta.
  4. Faça as questões objetivas. Aqui, depois de ter errado várias discursivas você já aprendeu um pouco sobre como a fuvest cobra os livros.
Faça algo parecido com esse passo a passo para todos os livros. Eu já tentei fazer resumos no passado, mas é muito tempo perdido. É melhor ver resumos online mesmo, e fazer marcações em amarelo nos resumos.
Pode valer a pena fazer um curso particular de literatura ou um cursinho que prepare para a fuvest como o Kuadro ou o Descomplica.
porque eles vão dar listas de exercícios sobre livros que entraram recentemente na lista dos obrigatórios e ainda não existem questões.
Passe a gostar de estudar literatura, esse é um tempo de descanso, é uma boa assistir os vídeos em horários que não dá vontade de estudar nada muito difícil, ou em momentos de encaixe de estudo, como no banheiro, ao arrumar o quarto.
Tenho certeza que não vale a pena ler os livros, porque em geral a gente vai lendo e esquecendo trechos.
Esse tempo é muito melhor aproveitado lendo as análises dos livros de várias fontes, do seu cursinho, dos blogs de professores, no YouTube. E sabendo de cabo a rabo as histórias, os porquês, como relacionar o que foi escrito com a vida dos escritores, por exemplo, Drummond teve várias fases, cada uma correspondendo a uma etapa do modernismo, o que mostra a evolução do autor, do raciocínio sobre o mundo e do próprio modernismo.
Essas análises caem bastante e é bom saber na ponta da língua. Vamos lembrar que português/literatura tem uma nota altíssima. A prova de literatura salva demais, é a parte mais fácil da prova de português. Veja abaixo a lista dos livros que caíram em 2018, é provável que vários desses se repitam:
Conforme aprovado ad referendum pelo Senhor Pró-Reitor de Graduação da USP em 02 e 09.03.2016, a lista de obras de leitura obrigatória para o Concurso Vestibular FUVEST 2018 será:
 Iracema – José de Alencar;
 Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis;
 O cortiço – Aluísio Azevedo;
 A cidade e as serras – Eça de Queirós;
 Minha vida de menina – Helena Morley;
 Vidas secas – Graciliano Ramos;
  Claro enigma – Carlos Drummond de Andrade;
  Sagarana – João Guimarães Rosa;
 Mayombe – Pepetela. 

2. Português

A fuvest cobra pouca gramática, pouca mesmo. A não ser que você nem saiba o que é um verbo, um pronome, não compre uma gramática, nem estude uma. Estude diretamente fazendo questões antigas.
Faça uns 20 anos de provas. Alguns sites como o elite tem todas essas resoluções. Veja a questão, tente fazer e só depois veja a resolução. Quando as questões forem relacionadas ao mesmo texto faça todas as 2 ou 3 questões de uma vez e depois veja as resoluções.
Não faça toda a prova pra depois ver a resolução. Vá fazendo e olhando a resolução. Isso tem um motivo, se você marcar errado e passar muito tempo pra ver a resposta certa o cérebro se confunde, passa a achar que o que você marcou está certo.
É melhor ensinar o cérebro de uma vez o que é certo ou não.
Se você não entender como foi resolvida uma questão procure outras resoluções, veja o resumo do assunto, consulte pontualmente a gramática (melhor maneira de usar a gramática), pergunte na Internet (vai dar pra postar questões no resumov nas próximas semanas). Enfim, faça muitas provas.
Interpretação de texto pode ser uma matéria difícil, porque às vezes só o examinador interpretou daquele jeito. Mas na maioria das vezes dá pra entender, e a fuvest é mil vezes mais coerente que o ENEM.
Em interpretação de texto, só treino salva. Não adianta ler teoria. Treino, treino, treino!

Se você realmente não souber nada de português, veja as aulas online. No youtube tem as aulas do aulalivre, as aulas pagas são muito boas como do Kuadro ou Descomplica, mas sinceramente só recomendo se você estiver errando muitas questões de prova.

3. Inglês

Inglês vale 5% da nota, é uma porcentagem muito baixa pra focar muito tempo.
1a fase: Saber o básico
O app Duolingo é excelente para melhorar o vocabulário. Ele começa bem devagar, mas depois vai melhorando. Se você dedicar uns 10 a 15 minutos por dia seu inglês melhorará enormemente em alguns meses, a ponto de conseguir passar para a próxima fase.

2a fase: questões
Se você já tem um nível razoável em inglês, vá direto para as questões (pule o duolingo), o principal é ter amplo vocabulário, vai ser preciso fazer muitas provas. Talvez ver listas de principais palavras de inglês na internet. E aí prova, prova, prova!!!
Por ano na primeira fase caem 5 questões de inglês, isso você faz e estuda em até meia hora. Então quando for reservar 1 hora para estudar inglês, tente fazer duas provas. Anote o vocabulário que não souber. Aqui vale a pena fazer uma lista das palavras pra rever com frequência. Talvez deixar colado no guarda roupa.
Faça as provas da FUVEST, UNICAMP, UNESP, ENEM.
É um conteúdo que vai ser muito útil para a sua vida profissional, nos anos de faculdade você pode fazer estágio nos Estados Unidos, ou pode fazer a residência fora do Brasil, já estude com isso em mente.

4. Redação

Redações boas dependem de bons argumentos e boa escrita (decorrente de muito treino). 

 

No começo é bom saber a estrutura básica de uma dissertação, depois é bom ler diversos sobre diversos temas, e selecionar vários para fazer 2 redações por semana.

1 – Aprender a estrutura básica dissertativa
A primeira coisa é aprender a estrutura básica de dissertação, como fazer introdução, conclusão.. Pode estudar por conteúdos que são para o ENEM, depois você adapta para o estilo da Fuvest.
2 – Fazer redações em casa
  1. Escolher um tema,
  2. Ler os textos motivadores,
  3. Pesquisar mais a fundo na internet,
  4. Organizar os argumentos,
  5. Começar a escrever,
  6. Dar para alguém corrigir.
A melhor estratégia é acompanhar sites da área, ler os temas, os textos motivadores. Recomendo:
  • Projeto redação , o site tem vários temas, sugestões de argumentos.
  • Redação nota dez também tem sugestões de temas.
  • Kuadro – eles tem um sistema de correção de redações da Fuvest, Unicamp e Unesp.
  • Descomplica – agora também corrigem redações Fuvest, Unicamp  e Unesp.
A diferença entre os temas da Fuvest, Unesp e Unicamp para o ENEM, é que aquelas cobram redações de temas subjetivos (como o ciúme, a felicidade, o consumismo), enquanto que o ENEM cobra temas mais objetivos como a educação, a desigualdade social, a deficiência física…
Para a Fuvest é muito bom conhecer as ideias de um escritor como Bauman. Eu andei lendo as melhores redações da Fuvest, várias usam algum argumento desse autor.
Saber as principais ideias de Bauman, é uma carta na manga na hora na argumentação , é argumento de autoridade, é garantia de aumentar sua nota (mesmo se você errou ortografia ou pontuação). E as ideias de Bauman se aplicam perfeitamente à realidade que estamos vivendo e à maioria dos temas de redação.
Uma série de análises sobre o conhecimento que Zygmunt Bauman nos trouxe:
É só usar um argumento de Bauman que sua redação ganha vários pontos ♥

5. História / geografia

História e geografia são matérias com peso de 7% na nota final,  vamos combinar que são as mais fáceis do vestibular. Aqui, a estratégia que eu recomendo é bem simples e tem só duas etapas:
1 – Ver vídeo-aulas de curso online (KuadroDescomplica)
2 – Fazer provas antigas e exercícios.
3 – Consultar livros didáticos ou apostilas.
  • Faça provas do combo: Fuvest, unesp, unicamp. 10 anos de cada. =)

geografia

  • Para os conteúdos de geografia humana: veja os vídeos dos cursinhos e já vá direto para as questões. Corte seu tempo de estudo em 1/3.
  • Para os conteúdos de geografia física além de ver  os vídeos dos cursinhos e de fazer as questões é interessante ler o livro.
Um livro de geográfica pode ser interessante para tornar o estudo mais completo, principalmente na parte de geografia física. A geografia humana dá pra aprender por conhecimento de mundo, vendo jornais e documentários, mas a geografia física precisa ser estudada em livros ou apostilas.

Recomendo o seguinte livro de geografia, foi um livro que li os capítulos de geografia física: intemperismo, rochas magmaticas, questão de terremotos e tsunamis… É o melhor livro de geografia que já vi, e é bem fácil de ler.

Geografia Geral E Do Brasil – Volume Único. Espaço Geográfico E Globalização

Vários assuntos que são melhor fixados lendo o livro. Não recomendo apostilas grandes pra estudar geografia. Porque são só enrolação, você perde muito tempo lendo várias páginas quando pode ler a matéria resumida em um livro único.

Então:

vídeo aula + livro (em geografia física) + provas antigas

GEOGRAFIA

Se geografia cai na sua específica da 2a fase você tem que devoraaar o livro, saber tudo!

Esse é o caso para medicina da USP de Bauru e Ribeirão Preto

História

A Fuvest cobra a compreensão dos eventos, e não costuma cobrar decorebas, nem datas. Então basta ter uma ideia geral dos acontecimentos.
História é a matéria que recomendo que você passe longe de apostilas, como a do poliedro. Mas ainda assim, você pode aprofundar sua compreensão lendo alguns capítulos específicos em um livro de história. Recomendo esse que engloba tanto a história geral quanto a história do Brasil.
É um volume único, bem didático, passa só a informação necessária para passar, tanto para 1a quanto para 2a fase, e não fica enrolando falando sobre coisas que não caem. Em um futuro post vamos mostrar o que mais cai em cada matéria.
 [DEPOIMENTO DE QUEM ESTUDOU ERRADO]:
Quando eu estava estudando pra fuvest tive a “brilhante” ideia de ler a apostila do poliedro de história. Resultado: a apostila do poliedro tinha tanto detalhe que eu demorava um horror pra ler e esquecia tudo. Fora que depois de ler o capítulo nem conseguia resolver as questões do próprio capítulo!!! Ficava triste, me sentia mal. Decidi parar com isso, e aí de novo usei aquela estratégia que estudei pro ITA: “fui ver as provas antigas”. Pra minha surpresa, o que caía não era tão difícil e a maioria eu já sabia. Então deixei o método tradicional de lado, assinei um curso de vídeo aulas e me divertia assistindo, depois ia fazer as provas antigas e consultava os livros nos assuntos mais complexos de geografia física. No fim, quase gabaritei história e geografia na 1a fase, e fui muito bem no D2 (segundo dia da segunda fase).
Links úteis:
História online do professor Rodolfo do Poliedro, ele tem um canal no youtube também.

Estratégia para matemática, física, química e biologia

4. Pontos comuns

Essas 4 matérias são as únicas que recomendo que você compre o livro. Pode ser a edição mais recente e novinha, mas pode ser um usado de edição mais antiga.

O estudo dessas matérias precisa seguir um tripé:
  • ver vídeo aulas,
  • acompanhar um livro ou apostila
  • fazer muitos exercícios

Ponto #1 – vídeo-aulas (ou um cursinho presencial)
As vídeo aulas são úteis quando você:
  1. Está vendo um assunto novo
  2. Está vendo um assunto difícil
  3. Está cansado de ler teoria / fazer questões
  4. Está em momentos de baixo rendimento – após o almoço, depois de uma noite mal dormida, fim de semana
Pra quem estuda só em casa, é muito difícil conseguir manter um ritmo de 10 horas de estudo por dia só com livros. Além de ser difícil, não é necessário. Existe muitas vantagens em assinar um (ou vários)  cursos online, a primeira é que o professor explica de maneira muito fácil, o que diminui o número de horas que você precisa ler a teoria. E segundo que é um estudo mais tranquilo do que tentar entender o livro.
 Abaixo vou relacionar alguns cursos interessantes:
Ponto #2 – livro ou apostila de cursinho de apoio
Uma ideia é comprar as apostilas usadas do poliedro, acompanhar um cursinho online como o Professor Ferreto, Kuadro ou Descomplica ou sinceramente usar qualquer livro de matemática do ensino médio.

O livro não vai ensinar tudo o que você precisa, você vai usar o livro para aprender o básico da teoria, digamos 50, 60% e o resto você vai aprender fazendo muitas questões e provas antigas. Então digamos que você tenha 9, 10 meses até a 1a fase, o ideal é passar uns 6 a 7 meses no máximo estudando teoria, e fazendo os exercícios do capítulo, depois desse tempo você precisa focar nas questões.
Uma ideia interessante é que em vez de estudar e “saber igualmente” todos os conteúdos, você pode focar naqueles conteúdos que caem com frequência e você tem facilidade. Nesse post contei a minha história em que mesmo não estudando geometria plana (além da lei dos cossenos) e combinatória / probabilidades consegui passar com nota alta em matemática no ITA.
Ponto #3 – estudar por provas antigas
Uns 3 meses antes da prova, no mínimo, você deve:
  • resolver muitas provas antigas, começando pelas da 1a fase (objetivas)
    • resolver provas antigas da fuvest,
    • resolver provas antigas da unesp,
    • resolver provas antigas da unicamp.
  • Marcar as questões difíceis ou que errou,
  • refazer as questões difíceis várias vezes
  • explicar pro colega (assim que se fixa com garantia de 100% um conteúdo).
  • fazer simulados, se seu cursinho tiver, se não tiver não esquente, só as provas antigas é suficiente.

Se você já fez cursinho antes, tem uma boa base nas matérias ou é seu 2o ou 3o ano de cursinho intenso, vá direto para as questões. Sério, você não precisa ver a teoria de PA de novo, você precisa resolver trocentas questões de PA. Isso inclusive em todas as matérias: Se você já estudou tudo, mesmo que não lembre de tudo, faça questões e vá para as vídeo aulas de assuntos que você não entendeu bem, ou que está errando muito nas questões.

 

4. Matemática

Matemática cai na primeira fase, e são 11 ou 12 questões por ano, 11/90 = 12.,2% ou 12/90 =13,3%. Depois vai ser cobrada de novo no segundo dia da segunda fase. O peso total dessa matéria é de 7%.
Parece pouco, mas tem um detalhe. Pra passar em medicina, a nota precisa ser altíssima, portanto não pode errar quase nada, e pra isso tem que ser muito bom em matemática.
Na primeira fase a gente precisa não só passar para a segunda fase mas tirar uma boa pontuação, senão vai ser preciso praticamente gabaritar as provas da segunda fase.
Matemática é a matéria que vai ter mais diferença entre estratégia de estudos.
Não dá pra escrever uma regra geral, todo mundo tem um nível diferente.
Você precisa se conhecer e estabelecer sua própria estratégia.
Livros
A coleção de Matemática, Ciência e Aplicações é simplesmente perfeita para estudar para o vestibular da Fuvest.

Matemática, Ciência e Aplicações – Volume 3

Algumas pessoas recomendam fazer as questões discursivas, eu particularmente acho as questões objetivas mais difíceis que as discursivas, mas veja o que você acha. Com certeza as questões subjetivas também ajudam na preparação.
Observação: o estudo de matemática exige muita dedicação. Se você não gosta de matemática, você precisa mudar esse mindset.
Dois exemplos básicos de como médicos usam a matemática no dia a dia:
1
Pense em um anestesista que precisa fazer cálculos complexos de quantas gotas / ml precisa dar para uma bebê em uma cirurgia geral.  Se errar, muitas coisas ruins podem acontecer com o bebê.
2
Um médico especialista de referência faz pesquisa acadêmica, advinha qual é a habilidade mais necessária em pesquisa acadêmica? Estatística, cálculo de desvio padrão, curva normal! Ele precisa analisar todos os dados, organizá-los, extrair padrões, e publicá-los. Então, melhor começar a gostar de matemática agora.
3
Oftalmologistas usam matemática toda hora para passar óculos, fazer cirurgias refrativas  (cirurgia da miopia = medicina +  física + matemática). Cirurgia de miopia é aquela combinação de lentes que você estuda em óptica geométrica, o objetivo é fazer o foco ser a retina mudando a curvatura da córnea, legal né?!

“É realmente uma diferença de mindset, se você acha que é ruim, você vai ser ruim. Se você acha que é bom, você vai ser bom. Esquece o que já falaram pra você. O primeiro passo é pensar “sou capaz de aprender isso” e ir atrás de materiais bons, dar o gás, lembra o que falei lá em cima: até sair sangue dos calos na mão. Não se deixar abater mesmo não sabendo fazer nada, porque você pode aprender e mudar isso e ficar até em primeiro lugar na fuvest.”

Matérias Específicas da segunda fase

Agora vamos entrar nas matérias de maior peso (além de português e redação). Nessas matérias você tem que ficar MUITO BOM, muito bom mesmo. Porque é preciso praticamente gabaritá-las no D3.
É importante deixar um bom tempo para aprender essas matérias, se possível estudar todo dia um pouco de cada. Neste post falo um pouco sobre o ciclo de estudos ideal para medicina e no fim deste post deixo uma sugestão de quadro horário, mas sempre lembrando que o ideal é ter estudo de alto rendimento por várias horas. Se estiver muito cansado ou com sono, descanse ou descanse vendo vídeo aulas e volte logo pro trabalho. Uma observação é que de nada adianta estudar 10 horas por dia, se você está checando o Instagram ou whatsapp a cada 30 minutos (ou menos).

 

4. Física

Aqui você pode usar a mesma estratégia que falamos para matemática:

  1. ver vídeo aulas, escolher um curso online
  2. acompanhar um livro ou apostila
  3. fazer muitos exercícios
  4. resolver provas

Existem duas coleções ótimas:

1 –  Fundamentos de Física,  Ramalho, Nicolau e Toledo:

Física. Os Fundamentos da Física – Volume 1. Coleção Moderna Plus

Os Fundamentos da Física 2

 

Física. Os Fundamentos da Física. 3º Ano

  • Tópicos de Física

Tópicos de Física – Volume 1

Tópicos de Física – Volume 2

Tópicos de Física. Eletricidade, Física Moderna, Análise Dimensional – Volume 3


O ideal é estar estudando em 2 frentes, por exemplo, em vez de estudar tudo de mecânica de uma vez, é melhor dividir o tempo do estudo de física em 2 e estudar em metade do tempo mecânica e na outra metade eletricidade e eletromagnetismo. Sendo que a dica maior é começar por tópicos mais fáceis, como termologia, e ir crescendo a complexidade dos assuntos.

Ordem crescente de dificuldade:

  1. Termologia (mais fácil)
  2. Física moderna
  3. Eletricidade
  4. Óptica e ondas
  5. Mecânica (mais difícil).

 

7. Biologia

Idem para biologia:
  1. Vídeo aulas
  2. Teoria nos livros
  3. Provas antigas
Aqui é preciso estudar bem um livro de teoria.
Eu acho as 4 apostilas do poliedro um investimento interessante. Eu acho que são mais voltadas para o vestibular do que o livro Bio da Sônia Lopes. Eu usava os dois, e usava o livro Bio só para tirar dúvidas eventuais. Eu realmente fiz todos os exercícios dos 4 livros, alguns capítulos caem muito mais que outros, mas pra uma matéria com a importância de biologia não queria deixar passar nada. Como estamos no começo do ano, ainda dá tempo de montar uma estratégia de completar essa coleção de 4 livros, ou fazer o volume único de Bio da Sônia Lopes em uns 6 ou 7 meses.
Odem de estudo de biologia
  1. ver os vídeos do assunto a ser estudado,
  2. ler a teoria no livro
  3. resolver as questões do assunto no livro
  4. resolver as questões do assunto da fuvest
Então, digamos que você vai estudar biologia molecular – replicação do DNA. Primeiro veja os vídeos no cursinho online, ou no youtube, depois leia o capítulo de teoria no livro e faça os exercícios propostos. Finalmente procure um site para fazer as questões específicas desse assunto que caíram no vestibular.

Livros de Biologia

Bio – Volume Único

Fundamentos da Biologia Moderna – Volume Único



 

Vídeos de Biologia

Pra quem fala inglês, o céu é o limite para a quantidade de vídeos de alta qualidade e explicação fantástica que você pode ver.
O youtube está cheio de opções de vídeo-aulas, veja por exemplo, a aula de histologia vegetal do professor Guilherme.

 

8. Química

Aqui dou a mesma recomendação, fazer o seguinte tripé.
  1. Vídeo aulas
  2. Teoria nos livros
  3. Provas antigas

Vídeo aulas

Para vídeo aulas, recomendo as aulas do Marcelão da Química:

As aulas são excelentes. As aulas dele são recomendadas por vários alunos. Pode acreditar.
Também recomendamos os cursinhos online  Kuadro e Descomplica!
Exemplo de aula do Marcelão da Química:

 

Livros

Muita gente fica em dúvida entre os livros da Martha Reis e do Feltre, ambos são ótimos. Você vai resolver isso indo em uma livraria e folheando os dois.
Eu particularmente sempre estudei pela Martha Reis e foi suficiente não só pra passar no ITA, como pra levar medalha de ouro na OBQ – Olimpíada Brasileira de Química. Então recomendo de olhos fechados. O Feltre ou Tito e Canto são igualmente bons também. O importante é ler a teoria, fazer os exercícios, e repetir esse ciclo para todos os capítulos.
Volumes 1 e 2, e alguns capítulos do 3

Martha Reis: Química – Volume 2. Coleção Projeto Múltiplo

A química orgânica do livro 3 abaixo cai bem de leve na Fuvest, pode ser interessante saber as nomenclaturas, entender isomerias e algumas das principais reações. Ou seja, estudaria metade do livro.

Química – Volume 3. Coleção Projeto Múltiplo

Os livros do Feltre também são excelentes, é meio que uma questão de preferência. Estude bem os livros 1 e 2. Veja no edital o que cai mais de orgânica no livro 3 e foque nisso.
Pode valer a pena comprar um livro usado do Feltre que sai mais barato, nos links da amazon abaixo você pode comprar livros usados também.
Os livros do Tito e Canto também são muito bons, e é volume único:

 Exemplo de quadro horário para estudar em casa

Abaixo fiz um exemplo de quadro horário pegando leve nos fins de semana.

Exemplo de quadro horário para quem trabalha.

 Falo mais sobre quadro horário e seu irmão ciclo de estudos + método pomodoro nesse post
Se você gostou desse post, compartilhe com seus amigos e deixe um comentário!

Gostou desse post? Deixa um comentário! E assine nossa lista de e-mails pra receber 1 e-mail por mês com muuuitas dicas de estudo.

E vamos estudar!!

Ebooks e dicas do Resumov

* indicates required


Susane.


Sobre o autor

Susane Ribeiro

Eng. Aeronáutica do ITA. Turma 2009.

Sobre mim

Resumov

Ebooks e dicas do Resumov

* indicates required